Maisumamãe
 

30 Maio 2017

 

Ora aqui está um post que à partida não tem muito a ver com a Maisumamãe. Hah mas tem! A Maisumamãe, também é uma mãe que por agora, trocou o trabalho a full-time pelo trabalho a part-time ou em regime free-lancer para poder ter mais tempo para se dedicar à filha. No regime free-lancer deparei-me com os recibos verdes, esses! E com isso, vieram também as questões e dúvidas relativamente ao preenchimento do IRS.

Não sou contabilista, nem técnica de finanças, sequer expert na coisa. No entanto, sempre coloquei vários IRS por ano. De tios, tias, primas, primos, amigas, amigos, etc. Cheguei a colocar 10 IRS num ano. Cada ano, cada IRS com uma situação diferente, em que fui descobrindo respostas e amealhando informação.

O Anexo B veio uns anos depois. Mas nestes últimos três aninhos a preencher o dito formulário, fui descobrindo várias formalidades todos os anos. Até porque ao longo destes três anos, tive três condições diferentes.

Este ano descobri uma que quero mesmo partilhar convosco. Pode ser que vos ajude em algum momento. E para não se descabelarem em frente ao pc como eu! Coitada da minha afro. Deixem por favor nos comentários que já sabiam desta desde sempre e eu não falo mais sobre recibos verdes!

 

No anexo B, onde colocamos os rendimentos como trabalhador(a) independente, quem tem o CAE 1519 – Outros Prestadores de serviços (não previstos nos campos anteriores), deve colocar os rendimentos no campo 404 – Ver explicações de quem sabe aqui e no site das finanças (no modelo do anexo B).

Explicação no anexo B:

“Campo 403 - Destina-se à indicação dos rendimentos auferidos no exercício, por conta própria, de qualquer atividade de prestação de serviços que tenha enquadramento na alínea b) do n.º 1 do artigo 3.º do Código do IRS, independentemente de a atividade exercida estar classificada de acordo com a Classificação Portuguesa de Atividades Económicas (CAE), do Instituto Nacional de Estatística, ou de acordo com os códigos na tabela de atividades prevista no artigo 151.º do Código do IRS e aprovada pela Portaria n.º 1011/2001, de 21 de agosto, mas com exclusão da atividade com o código 1519 – Outros prestadores de serviços.

Campo 404 - Destina-se à indicação das demais prestações de serviços não incluídas nos campos 402 e 403.”

 

What?? Fiquei-me pela alínea b) e ainda decorei a portaria! Mas pronto, após ler isto coloquei os rendimentos no campo 403. Fiquei com um valor bem alto para pagar às finanças. Descobri dias depois (por sorte descobri antes do dia 31 de Maio – grata), que o campo 404 era o que se aplicava ao meu caso.

Corro para o computador. Browser internet explorer, site das finanças, java, run, declaração de substituição, substituir, meus-deuses-e-deusas-a-ver-se-isto-corre-bem, validar, simular… Nada a pagar! 

 

Aguardo novidades das Finanças, se houver!

 

 

 

 


17 Março 2017

A pedido de muitas famílias, vá algumas, partilho convosco os pequenos-almoços e lanches da Gaby. Por vezes sentimos que estamos sempre a repetir os mesmos lanches, mas não tem que ser assim. Há imensas opções de pequenos-almoços e lanches: panquecas, ovo cozido, vários tipos de pão (os mais escuros e integrais costumam ser a opção cá em casa), fruta (sempre), bolachas caseiras, compotas caseiras, batidos, palitos de cenoura, iogurtes caseiros, bebidas vegetais, granolas, tomate cherry, bolo caseiro, frutos secos, entre outros.

Nem sempre somos assim tão certinhas como está na tabela, mas por norma tento seguir estas ementas. A filha gosta e a mãe também. E vocês como fazem aí por casa? E para mandar para a escola?

 

Ementa semanal_PequenoAlmoço e Lanche.pdf

 

Pequeno-Almoço&Lanche.jpg

 

Pequeno-Almoço&Lanche2.jpg

 

 


16 Março 2017

Seguem duas ideias para bolos de aniversário para o primeiro aninho (e para os seguintes). Há algumas receitas como o bolo de iogurte, de cenoura, pão-de-ló, no qual se podem alterar alguns ingredientes, como o açúcar e a gordura de modo a que se tornem bolos mais saudáveis, mas também saborosos para bebés e crianças. Algumas alterações por vezes não resultam tão bem, é necessário experimentar, provar e… voltar a fazer! 

Tenho estas duas receitas em outros posts, mas resolvi juntá-las num só post dedicado aos bolos de aniversário, tendo em conta alguns pedidos que me foram chegando.

 

Bolo de aveia e banana (sem açúcar adicionado, sem lactose, sem ovos)

 

Ingredientes

4 bananas bem maduras

80g de passas

1 ou 2 c.de sopa de linhaça

100g de flocos de aveia

100g de flocos de aveia triturada

100g de farinha integral (ou mais 100g de aveia, se quiser um bolo sem farinha)

50g de azeite ou de óleo de coco

250g de leite de aveia ou arroz

1 c. de sopa de fermento em pó

Canela q.b.

 

Mãos-à-obra:

1) Bater no liquidificador/bimby (2min vel.7), as bananas, a linhaça, a bebida vegetal e o azeite/óleo até que a mistura se torne homogénea

2) Adicionar as passas demolhadas em água morna, cerca de 15 min

3) Continuar a bater

4) Juntar a aveia triturada e a canela e misturar bem

5) Juntar a farinha integral, o fermento, a aveia em flocos e misturar, sem bater muito

6) Colocar numa forma de buraco untada com azeite e farinha

7) Colocar no forno pré-aquecido cerca de 40min a 180graus – pode variar conforme o tipo de forno

 

Dicas para este bolo:

As bananas e as passas substituem o açúcar, dando um sabor mais docinho ao bolo. As passas como estão bem trituradas e misturadas na massa do bolo não trazem qualquer problema aos bebés. O grande risco da passa é a asfixia.

A linhaça substitui os ovos. Para bebés de 6 meses, não convém ser em grandes quantidades porque tem muita fibra, mas uma colher de sopa aqui diluída está óptimo. Se for um bolo para crianças maiores podem ser 2 a 3 colheres de sopa.

Os flocos de aveia no final acabam também por decorar o bolo pois ficam à vista.

 

 

Bolo de iogurte (sem açúcar adicionado, sem lactose)

 

Ingredientes

1 iogurte natural sem açúcar (pode ser um iogurte caseiro)

3 medidas de farinha integral (ou misturar com farinha de espelta ou mesmo de trigo)

1 medida de azeite ou óleo de coco

1 medida de “farinha”/pasta de tâmaras

3 ovos

1 medida de bebida vegetal

1 c. de chá de fermento

2 c. de café de canela em pó

1 pitada de noz moscada

Nota: 1 medida corresponde a 1 copo do iogurte utilizado

 

Mãos à obra:

1) Bater as claras em castelo, com metade da medida da “farinha” de tâmaras

2) Bater as gemas com a outra metade das tâmaras. Esta é a fase em que gosto que a batedeira trabalhe bem!

3) Em seguida juntar os restantes ingredientes e misturar bem. Gosto de misturar muito bem a massa do bolo de modo a ficar bem homogéneo. Porquê? Porque fica mais fofo e coze melhor!

4) Juntar as claras batidas em castelo. Agora, mexer com a colher para não quebrar. Mexendo com a colher nesta fase, a massa fica mais leve e fofa

5) Colocar a massa numa forma untada com azeite e polvilhada com farinha

6) Colocar no forno pré-aquecido a 180º, 20 a 30 minutos. Após cerca de 20 minutos já pode abrir o forno para ver se está bom, costumo espetar um palito no meio. Se vier pegado ainda precisa de mais um pouco, se sair limpinho está pronto.

 

 

Descobrir uma cobertura saudável mas saborosa para o bolo de aniversário, também é outro quebra-cabeças. Seguem algumas ideias:

 

Iogurte natural e frutas

Frutas decoradas a gosto

Papa de manga ou outras frutas trituradas em puré

Sem cobertura, apenas com uma decoração por exemplo com bonecos, bandeirinhas, fitas, etc.

Alguma compota ou doce caseiro (sem adição de açúcar), este também é bom para rechear

 

Finalmente deixo-vos com uma receita de um bolo maravilhoso, o Bolo do sol, feito por uma amiga linda. Tem uma cobertura muito boa feita de manga, tâmaras e coco.

 

 

BoloAveiaBanana (6) (1).JPG

Este fiz numa forma sem buraco, para testar uma cobertura. 

 

 

 


17 Fevereiro 2017

 

Fazer ementas semanais pode ser um bom hábito, principalmente quando temos crianças! Um hábito inteligente, saudável, de poupança, mas que requer disposição. Podem descarregar na internet, templates de ementas semanais, mas a maior parte dos que estão disponíveis têm apenas quatro refeições. Para mim, o ideal é um com cinco refeições, pelo que fiz um modelo em word tosco. Por vezes imprimo uns quantos modelos em branco e escrevo à mão. Ou faço mesmo tudo à mão!

Na minha ementa semanal acabo por repetir alguns pratos. Ou seja para 7 dias da semana, não tenho 14 ementas diferentes. Tento repetir no máximo três vezes o mesmo prato ao longo das 14 refeições. Se mesmo assim sobrar congelo. Assim não tenho que estar a cozinhar todos os dias e sempre a pensar no que vou fazer para o jantar. “Perco” uma manhã ou uma tarde do fim-de-semana, mas para mim compensa e muito durante a semana.

 

Além das ementas semanais, pratico outros hábitos que me têm sido úteis:

- Fazer compras mensais, uma vez por mês faço as compras gerais cá para casa, de modo a não ser necessário voltar a comprar ao longo do mês. Semanalmente compro legumes, fruta e pão. Sinto que assim consigo controlar melhor os gastos e o tempo em compras.

- Tentar comer sazonalmente a maior parte das vezes, ou seja comer produtos específicos da altura do ano. Hoje em dia encontramos todo o tipo de alimentos à venda, em qualquer altura do ano. Mas se optarmos maioritariamente pelos produtos sazonais estamos a poupar dinheiro (há mais oferta do produto, logo este está mais barato); os produtos estão mais naturais (sendo a sua época, não são necessários tantos fertilizantes); são mais saborosos (por serem colhidos na época certa relativamente ao seu ciclo de cultura) e poupamos o ambiente e o nosso planeta. No site da Deco há um calendário com a época das frutas e legumes.

- Fazer comida a mais e congelar. Pratos bons para congelar, feijoadas, pratos com molho, sopas. A congelação tem regras e truques (toca de pesquisar por essa internet fora!). Um que costumo utilizar é o choque térmico. Por exemplo com a sopa, coloco a panela no lava-loiça com água e pedras de gelo, para que esta arrefeça muito rapidamente. Depois congelo logo, de modo a manter os nutrientes.

- Ser fã de marmita. A marmita sempre fez parte do meu dia-a-dia. Na verdade, não saio de casa, sem uma bolacha e uma garrafa de água na mala. Agora com a filha, as doses de comida na mala aumentam. E no trabalho sempre fiz parte daquele grupo que leva almoço. Poupo dinheiro e consigo controlar mais facilmente o que como. Congelar a comida já em doses certas para levar para o trabalho também é boa ideia, para quem não se importa.

- Ter hambúrgueres ou croquetes de grão, de quinoa, de lentilhas congelados. Quando por algum motivo não tenho nada planeado, faço com um arroz, uma massa e legumes ou salada. Vale também as empadinhas de espinafres ou atum, cogumelos.

 

Mas vá, a coisa nem sempre corre bem, por vezes ando com menos energia e descamba tudo. Não faz mal, porque significa que é hora de recomeçar a planear e a colocar em prática novamente!

Deixo uma sugestão para uma ementa semanal sem carne, para crianças e graúdos. Prometo colocar outra sugestão para a próxima semana, bem como algumas das receitas desta. Adaptem a ementa aos vossos hábitos alimentares e comecem vocês também.

 

Ementa semanal.pdf

 

Ementa semanal.jpg

 

Ementa Semanal2.jpg

 

 

Quadro Ementa_Fnac.jpg

A fnac vende estes quadros, que também são um boa opção.

 


06 Fevereiro 2017

Bolo de Aveia e Banana (sem açúcar adicionado)

 

Aqui está um bolinho óptimo para bebés e crianças, a partir dos 6 meses. Para fugir à rotina dos mesmos pequenos-almoços e lanches, para bolo de aniversário para a escolinha e também para os graúdos se deliciarem.

 

Ingredientes

4 bananas bem maduras

80g de passas

1 ou 2 c.de sopa de linhaça

100g de flocos de aveia

100g de flocos de aveia triturada

100g de farinha integral (ou mais 100g de aveia, se quiser um bolo sem farinha)

50g de azeite ou de óleo de coco

250g de leite de aveia ou arroz

1 c. de sopa de fermento em pó

Canela q.b.

 

Mãos-à-obra:

1) Bater no liquidificador/bimby (2min vel.7), as bananas, a linhaça, a bebida vegetal e o azeite/óleo até que a mistura se torne homogénea

2) Adicionar as passas demolhadas em água morna, cerca de 15 min

3) Continuar a bater

4) Juntar a aveia triturada e a canela e misturar bem

5) Juntar a farinha integral, o fermento, a aveia em flocos e misturar, sem bater muito

6) Colocar numa forma de buraco untada com azeite e farinha

7) Colocar no forno pré-aquecido cerca de 40min a 180graus – pode variar conforme o tipo de forno

 

Dicas para este bolo:

As bananas e as passas substituem o açúcar, dando um sabor mais docinho ao bolo. As passas como estão bem trituradas e misturadas na massa do bolo não trazem qualquer problema aos bebés. O grande risco da passa é a asfixia.

A linhaça substitui os ovos. Para bebés de 6 meses, não convém ser em grandes quantidades porque tem muita fibra, mas uma colher de sopa aqui diluída está óptimo. Se for um bolo para crianças maiores podem ser 2 a 3 colheres de sopa.

Os flocos de aveia no final acabam também por decorar o bolo pois ficam à vista.

A primeira vez que fiz este bolo, ficou meio cru por dentro. Não havia maneira do bolo cozer, até porque se trata de um bolo em que a massa fica mais grossa devido à aveia. Toca de fazer novamente, mas desta feita com uma forma com um buraco no meio (agradeço a dica) et voilá, bolo bom para o lanche!

 

 

BoloAveiaBanana (2).JPG

Pronto para o forno!

 


01 Fevereiro 2017

Que tal uma pausa na alimentação saudável para as crianças, para espreitarem o nosso doce mês de Janeiro? Há quem diga que é o mês do ano que mais custa a passar. Talvez. Mas tivemos belos dias de sol para passear e nem os outros dias de frio (muito frio) que por cá andaram, abalaram os passeios e diversões.

O nosso mês de Janeiro foi assim...

 

1 - Mata (1).JPG

2 - Mata.JPG

3 - Mata.JPG

4 - Mata.JPG

5 - Mata.JPG 

6 - Mata.JPG

CIMG1183.JPG

CIMG1207.JPG

CIMG1212.JPG

CIMG1226.JPG

Jan17 (36).JPG

Jan17 (54).JPG

Jan17 (68).JPG

Jan17 (73).JPG

Jan17 (103).JPG

Legos (4).JPG

Legos 1.JPG

 

 

 

 


23 Janeiro 2017

Bolo de laranja (sem glúten, sem lactose)

 

Ingredientes

250g de farinha de arroz

1 c.sopa de fermento em pó

1c.café de bicarbonato de sódio em pó

2 c.sopa de linhaça triturada (pode substituir por 3 ovos)

3 c.sopa de mel (pode substituir por açúcar mascavado)

1 pitada de sal

300g de sumo de laranja natural (faço a medição na balança da bimby)

60g de azeite (faço a medição na balança da bimby)

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar todos os ingredientes na liquidificadora/bimby, com excepção do fermento e o bicarbonato

2) Colocar depois estes dois e misturar, sem bater

3) Colocar numa forma untada com azeite

4) Levar ao forno pré-aquecido durante cerca de 40min

5) Confirmar se está pronto fazendo o teste do palito.

 

Inspirei-me para esta receita aqui, mas não resisti em fazer algumas alterações e acabei por criar uma nova receita. Mas a primeira vez que fiz um bolo com farinha de arroz, ficou muito seco. Ao “inventar”, coloquei mais farinha de arroz do que aquela indicada na receita, na altura pareceu-me pouca farinha e pumba coloquei mais um bocadinho. Ficou tão seco e duro que até doía! Por vezes as receitas correm bem, outras vezes nem por isso. Mas vale a pena criar!

 

Truques e dicas para este bolo:

Colocando mais farinha de arroz, é necessário acrescentar mais líquido

Para esta receita fiz com arroz branco que triturei na bimby, mas há farinha de arroz à venda. Também pode ser com arroz integral triturado na bimby ou numa trituradora de grãos ou farinha de arroz integral de compra

Triturei 300g de grãos de arroz na bimby, 1min30seg, na vel 9. Não convém triturar uma grande quantidade de arroz de uma vez, senão a farinha não fica tão fininha

O bicarbonato de sódio ajuda a que o bolo fique mais fofo, mas este não substitui o fermento

Este bolo não tem glúten, logo pode ficar menos leve e menos fofo que os outros. O bicarbonato de sódio - que usei nesta receita, o psyllium, o limão e a goma xantana ajudam

O psyllium vende-se no celeiro, há um da marca biosama natural e biológico

A goma xantana também há à venda no celeiro, “é um espessante, sem glúten e sem trigo, que melhora a consistência de preparações (massas, molhos, etc.). Reduz o esfarelar das massas sem glúten, melhorando por exemplo, a consistência do pão sem glúten, pois atua como agente ligante”.

 

Farinha Arroz (1).JPG

 

Farinha Arroz (2).JPG

 

Farinha de arroz triturada na bimby.

As belas das laranjas para o sumo, apanhadas por nós em Abrantes, aka biológicas! 

 


17 Janeiro 2017

Bolo de baunilha sem ovos (vegan)

 

Ingredientes

3 c.sopa de óleo de coco

100g de açúcar mascavado

200g de farinha integral

100g de farinha de trigo

150g de leite vegetal – utilizei de aveia

1 c.sopa de fermento em pó

1 vagen de baunilha

 

Mãos-à-obra:

1) Bater o óleo de coco com o açúcar na batedeira ou bimby até ficar cremoso

2) Cortar a vagem ao meio com uma faca afiada

3) Aquecer um pouco o leite vegetal com a vagem de baunilha

4) Deixar o maravilhoso aroma da baunilha soltar-se, enquanto o leite arrefece um pouco

5) Retirar a vagem do leite, serve para utilizar uma segunda ou terceira vez

6) Juntar o leite vegetal ao creme de óleo e açúcar e mexer bem

7) Acrescentar as farinhas, o fermento e mexer para misturar. Não mexer muito, apenas misturar

8) Untar uma forma com azeite ou óleo de coco e polvilhar com farinha

9) Colocar a massa e levar ao forno pré-aquecido, cerca de 30min

10) Fazer o teste do palito para ver se está pronto

11) Deixar arrefecer um pouco e desenformar.

 

Utilizar ovos numa receita tem vários propósitos. Ligar os ingredientes, deixar a massa mais húmida ou mais macia. No caso das claras, para ajudar a massa a crescer, entre outros efeitos. Quando se pretende algum destes efeitos, ao retirar os ovos, pode ser necessário substituir por outros ingredientes. Linhaça, maçã, vinagre de sidra, fermento, leite vegetal, são algumas das opções.

 

A baunilha é um ingrediente poderoso! Trata-se de uma vagem proveniente da flor orquídea, que segundo o que li, é a segunda especiaria mais cara do mundo, o açafrão está em primeiro. É bastante cara pois tem uma reprodução difícil e um processo de preparação moroso. Mas bem aproveitada compensa. Há várias formas para aproveitar melhor a vagem: aquecer algumas vezes em bebida vegetal ou leite, fazer extracto de baunilha, fazer açúcar baunilhado e outras ideias que circulam por aí pelo mundo da internet. Neste caso utilizei a vagem e as sementes. Mas também podia ter raspado as sementes, utilizá-las no bolo e guardar a vagem para secar e triturar. A baunilha em pó também pode ser uma opção, apesar do sabor ser menos intenso que a vagem. Estas biológicas da Biovegan, têm um preço bastante apelativo. Outra opção são estas na Puro Sumo.

 

CIMG0072.JPG

Comprei a baunilha na loja Maria Granel

 

CIMG0203.JPG

Utilizei este óleo de coco, é mais barato do que aquele que comprava no continente e bom na mesma


12 Janeiro 2017

Que tal começar o ano, com bolos saudáveis? Hoje há imensas ideias para fazer quase todo o tipo de bolos. Bolos sem açúcar, bolos integrais, bolos vegan, bolos sem farinha (sem glúten, óptimos para celíacos), bolos sem gordura. Após algumas pesquisas por esse mundo da internet, encontrei algumas receitas aqui e ali. Adaptei-as, fiz umas quantas alterações, coloquei a massa no forno ou na varoma, provei e gostei.

Deixo-vos com uma receita por dia, para experimentarem, alterarem, provarem e verem se gostam!

 

Chiffon de Alfarroba - sem açúcar adicionado

Cozido a vapor na varoma

Versão adaptada do Mundo das Receitas Bimby

 

Ingredientes

4 ovos

100g de tâmaras secas trituradas em farinha

50g de azeite

100g de leite de aveia

100g de farinha de trigo

200g de farinha integral

2 c.chá de fermento

20g de farinha de alfarroba

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar no copo a borboleta, os ovos, o azeite, as tâmaras, o leite vegetal, a alfarroba e programar 6min/37º/vel3

2) De seguida mais 3min/vel3

3) Juntar a farinha, o fermento e programar 15seg/vel3

4) Colocar numa forma untada com azeite e polvilhada com farinha integral

5) Tapar a forma com papel de alumínio e fazer pequenos furos à volta da mesma

6) Colocar na varoma 3 garfos de sobremesa, em forma de cruz

7) Colocar a forma dentro da varoma em cima dos garfos

8) Tapar a varoma com a tampa e colocar papel de alumínio à volta

9) Fazer uns cortes laterais no alumínio, para deixar sair o vapor que entretanto será libertado

10) Colocar 1 litro de água no copo limpo, a varoma e programar 60min/varoma/vel1

11) Retirar a varoma, o alumínio com cuidado para não se queimar e desenformar o bolo

12) E como este em concreto era bolo de festa, coloquei-lhe uma cobertura de chocolate, que fiz com um chocolate 70% da Lindt que gosto muito.

 

Grandes alterações nos ingredientes em relação à receita original, mas que correram muito bem:

Reduzir para menos de metade as quantidades de açúcar e azeite (a receita original é com óleo);

Substituir chocolate em pó por farinha de alfarroba. Coloquei pouca alfarroba para não ficar muito escuro. E queria que este bolo ficasse simples, pois era para levar para a escola da Gaby, para festejar o seu aniversário. Por norma quando faço este bolo cá para casa, coloco 40g de farinha de alfarroba;

Misturar farinha de trigo com farinha integral, colocando mais integral do que de trigo. Por vezes faço apenas com farinha integral;

Substituir água por leite vegetal caseiro. Também pode ser com leite vegetal de compra.

Substituir o açúcar pelas tâmaras. Por vezes faço com açúcar mascavado. Descobri esta forma de substituir o açúcar neste blog Patricia is cooking e fiquei maravilhada. Comprei as tâmaras secas numa loja no Centro Comercial do Martim Moniz e vim para casa toda entusiasmada, triturá-las na bimby.

Como fiz?

Tive que cortá-las primeiro ao meio para tirar o caroço. Deve haver também à venda sem caroço

Coloquei na bimby e triturei na vel9.

Não ficaram com um ar bem seco, estilo farinha, mas para a próxima coloco-os um pouco no forno para tostarem e depois trituro.

 

Dicas para este bolo:

A varoma deve estar bem coberta com o alumínio

A forma não precisa assentar no fundo, aliás não convém para o ar poder circular

Uma forma sem buraco, pode demorar mais tempo a cozer. Quando faço na forma sem buraco por vezes tenho que colocar mais uns 20minutos. Assim coloco mais água no copo, não esquecer.

Também se pode fazer em formas de silicone

Se fizer este chiffon sem se de chocolate ou alfarroba, por exemplo se fizer de laranja ou simples, ficam com um ar mais “pálido” por ser cozido a vapor. Pode fazer uma cobertura simples e colocar por cima, ou colocar um pouco no forno para ganhar cor por cima

A grande diferença em fazer um bolo a vapor na varoma ou no forno. Na varoma ficam mais altos, fofos e mais claros se for simples. No forno ficam com mais cor, talvez menos fofos (há bolos de forno que ficam bem fofinhos também!).

 

CIMG0778.JPG

Descarocei as tâmaras secas

 

CIMG0782.JPG

Ficaram assim

 

 

CIMG0003.JPG

Três garfinhos no fundo da varoma, para deixar o ar circular

 

AniGaby16 (2).JPG

Bolo a cozer na varoma

 

AniGaby16 (12).JPG

AniGaby16 (11).JPG

A miúda só vê Frozen à frente 

 

 


04 Dezembro 2016

Fim-de-semana de chuva é fim-de-semana de panquecas. Estas ficaram “bué-da-boas”, como diz a Gaby.

 

Panquecas de aveia com alfarroba

 

Ingredientes

Flocos de aveia – faço um bocado a olho, mas estas da foto foram cerca de 6 c. de sopa

1 c. de café de fermento em pó

2 c. de sopa de mel

100 ml de bebida vegetal, usei leite de arroz caseiro mas pode ser de compra

1 c. de sopa rasa de farinha de alfarroba

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar no copo da bimby os flocos de aveia e triturar na vel. 9, cerca de 15 seg. Também pode triturar na liquidificadora

2) Juntar os restantes ingredientes, vel.3 cerca de 15 seg. na bimby ou na liquidificadora

3) Colocar meia concha desta massa numa frigideira anti-aderente

4) Lume brando e paciência para saírem umas panquequinhas mais ou menos perfeitas

5) Por cima colocar algo a gosto, estas têm iogurte natural, banana, chia e um pouco de canela.

 

1.JPG

3.JPG

CIMG0262.JPG

CIMG0270.JPG

2.JPG

 

 


Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO