Maisumamãe
 

23 Junho 2014

Uma vez quando fui visitar uma amiga que tinha tido um bebé, reparei que ela a dada altura disse-lhe assim com uma voz muito carinhosa: “ Meu querido bebé, já estás no colinho da mamã há muito tempo, não pode ser!”.

Porque é que não pode ser?

 

Pois é, existem por aí teorias de pediatras, de médicos/as de família, de psicólogos/as, de avós, de primas/os, de tias/os, de amigas/os, de vizinhos/as, de desconhecidos/as, enfim de meio mundo, que defendem que os bebés não podem ficar muito tempo ao colo e que não podem adormecer ao colo… Senão acontece algo terrível: habituam-se! Mas que grande desgraça! Também há outra, diz que ficam muito apegados à mãe! Mas se não ficar apegado à mãe, querem que se apegue a quem? À vizinha do 8ºandar? Amamos os nossos bebés e todas as mães tentam e fazem o melhor para eles, (talvez nem todas por inúmeros motivos, que remeto para um outro tópico). Porém, o problema são os maus conselhos que recebemos e que por vezes toldam a nossa visão e alteram as nossas acções naturais e instintivas, entre as quais dar colinho e muito.

 

Nem sempre pensei assim. Ainda me lembro no primeiro mês de vida da Gabriela em que tentei adormecê-la no berço e deixá-la por lá sozinha. Como me custou. Sempre me disseram que teria que ser dessa forma. Percebi que não estava a fazer o melhor para a minha bebé e decidi fazer como eu achava, sentia e desejava. Passei e continuo a dar muito colinho à Gabriela, ah e adormece no colo.

Neste momento poderá haver alguma alma menos iluminada que esteja a pensar. “Como eu gostava que a tua filha depois não te largasse as saias, para veres o que é bom para a tosse!”. Pois eu quero é que ela não me largue as saias e as calças tão cedo. Vai ter tempo para mais tarde as largar, nessa altura vou ter saudades, mas penso que terei uma filhota alegre, independente e segura, porque apego não lhe faltou nem falta.

publicado por maisumamae às 23:59

08 Junho 2014

Vou aproveitar agora que a Gabriela dorme para escrever!

 

Quando fiz o curso de preparação para o parto ensinaram-me que o bebé normalmente deve mamar de 2 em 2 horas e cerca de 30 minutos no máximo, (tenho esta informação escrita nos meus apontamentos das aulas). Penso que nos primeiros 2 meses da Gabriela, fui seguindo esta indicação. Quando me perguntavam: “A que horas mamou?”, eu lá respondia acertadamente. Mas algo não estava bem, não fazia sentido… Comecei a perguntar-me porque tinha que dar de mamar de 2 em 2 horas? Ou porque tinha que saber a que horas mamou? Decidi deixar de olhar para o relógio enquanto mamava, comecei a não querer saber quanto tempo mamou, nem a que horas foi a última vez que mamou. Os encontros na Liga La Leche foram sem dúvida o meu big push para esta liberdade e foi o melhor para a Gabriela e para mim.

 

Mães que pretendem amamentar em exclusivo até aos 6 meses e que pretendem depois continuar a fazê-lo, esqueçam as horas e ofereçam maminha sempre que o bebé pedir. Por vezes há alturas em que parece que estão sempre a pedir, pois que estejam sempre a mamar. Cheguei a estar com a mama de fora várias vezes ao longo de dia, para não generalizar e dizer que era o dia todo!

 

A Gabriela tem neste momento 18 meses e ainda mama. Mama sempre que quer e onde quer. E quando me perguntam ainda mama? Ou vais dar de mamar aqui? Adoro responder à letra quando a pessoa merece!

publicado por maisumamae às 23:00

02 Junho 2014

 

Cá está mais uma mãe com um blogue. Já há tantos! Mas e porque não haver mais um? É mais uma partilha, é mais um ponto de vista, é maisumamãe que descobriu o maravilhoso cansativo mundo da maternidade.

 

A ideia do blogue surgiu logo após o nascimento da Gabriela, no entanto por vários motivos foi sendo adiado até hoje! E hoje foi o dia!

 

Várias vão sendo as dúvidas que me vão surgindo, em relação ao bem-estar da Gaby e nem sempre encontro respostas que me fazem sentido. Adoro pesquisar. Pesquiso em livros, na internet, com outras mães, com a minha mãe, com o pai, com amigos e familiares, com a pediatra, com a enfermeira enfim, várias são as fontes. Mas uma coisa é certa, posso receber várias respostas, mas faço apenas aquilo que me faz sentido, afinal a mãe sou eu.

 

Ao longo das minhas pesquisas, fui compilando informações que me pareciam válidas e fui construindo toda uma forma de lidar com a minha bebé. Dessas compilações, achei interessante partilhar convosco aquilo que considero boas-práticas com a minha Gaby. De qualquer das formas como sabem o que resulta com ela pode não resultar com os vossos, pelo que pesquisem, pesquisem bastante para se sentirem mais confiantes, mas como teorias leva-as o vento, confiem em vocês e nos vossos bebés!

 

Sugestões e críticas são bem-vindas, apesar de às vezes denotar um certo mau feitio em mim, principalmente por não fazer sempre o-que-se-deve-fazer em relação aos bebés. Cansei-me do meio-termo! E gosto da terceira opção! Mais tarde falo nisto!

 

Bem-vindas/os!

publicado por maisumamae às 16:12

Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

8 seguidores

pesquisar
 
blogs SAPO