Maisumamãe
 

27 Março 2015

E após 10 dias de receitas, regresso às minhas reflexões da maternidade. Ando há imenso tempo para partilhar convosco o que penso em relação àquilo a que chamo a liberdade de ser mãe.

 

Acredito claramente que ser mãe não é igual para todas. Há mães que se sentem confortáveis, outras tristes, outras óptimas, outras cansadas, outras a adorarem, outras arrependidas, outras cheias de amor para dar, outras frágeis, outras a absorver cada momento, outras perdidas, outras a descobrirem e a aprenderem maravilhas com os/as filhos/as, outras stressadas, outras felizes, outras a não gostar...podia continuar mas fico-me por aqui.

Tenho a sorte de ser daquelas mães que se sente confortável, óptima, a adorar, cheia de amor para dar, a absorver cada momento, a descobrir e a aprender maravilhas com a minha filha e feliz!

Mas também me sinto muitas vezes cansada, perdida e stressada. Ainda não me senti triste, arrependida, frágil e a não gostar; gostava de nunca me sentir!

 

Faço parte daquele grupo de mães que está a adorar a maternidade, que acredita que o bebé/criança precisa da presença da mãe (cuidador) de uma forma constante e que dessa forma é possível criar apego. Sendo assim sempre quis que a minha filha ficasse lapada em mim sempre que possível. Acredito que a criação de um vínculo forte através de uma presença constante, cria pessoas mais independentes e autónomas. Aquilo que todos queremos, mas que se tem fomentado de formas diferentes.

Entretanto comecei a ouvir conselhos do género: Tens que deixar de dar de mamar à noite, para descansares e para ficares mais livre caso queiras sair! Tens que começar a sair à noite, deixar a filha com alguém. Não tens ninguém que te fique com a bebé? Tens que ir de férias sem a bebé, para namorares descansada, além do mais a bebé tem que começar a tornar-se independente.

 

Mesmo que muito bem-intencionados os conselhos, (alguns talvez menos bem intencionados, mas vá), mais uma vez pergunto: Ficar mais livre? Livre como? Queremos a liberdade para fazermos o que quisermos, fazermos o que nos apetece certo? Então consegue-se perceber e aceitar que o que eu queria fazer e o que me apetecia era ficar com a minha filha? Acarinhá-la, ficar com ela ao colo. Isso sim era o meu programa preferido. Sentia-me bem, feliz e descansada. E sim sentia-me livre.

 

Hoje passados dois anos, começo a ter vontade de sair à noite por exemplo. Porque já me apetece, porque a Gaby começa a sentir menos a minha falta em comparação a quando era mais pequenina e porque assim estão a ser as etapas da minha maternidade.

De qualquer das formas como em tudo, cada caso é um caso e cada mãe deve fazer o que a faz sentir melhor, por isso sejamos livres e deixemos ser livres.


18 Março 2015

E finalmente a última iguaria destes 10 dias de receitas da festa da Gaby. Espero que todas elas vos façam bem à saúde e ao espírito guloso!

 

Limonada  (versão adaptada do Livro Base da Bimby)

 

Ingredientes

2 Limões

50g de açúcar mascavado

1000g de água

 

Mãos-à-obra:

1) Lavar os limões e cortá-los em quartos

2) Colocar no copo todos os ingredientes

3) Premir a tecla turbo durante 3 segundos (ficar a segurar o copo de medida por motivos de segurança)

4) Colocar o cesto no copo e coar a limonada para um jarro. Esta parte para mim é a que leva mais tempo, pois o açúcar tem tendência a ficar no fundo. Costumo voltar a deitar a limonada dentro do copo e mexo bem.

 

- Em alturas de calor, fica óptima com umas pedras de gelo

- Os pedaços de limão que sobram servem para fazer compota.

 

E com isto, deixei de comprar sumos cá para casa. Costumo fazer néctar de qualquer fruta que tenha em casa (pêra, papaia, banana, morangos, framboesas, kiwis etc.), limonada e sumo de laranja.

 

Limonada (4).JPG

 

publicado por maisumamae às 16:22

18 Março 2015

Néctar de manga (versão adaptada do Livro Base da Bimby)

 

Ingredientes

1 Manga

2 Laranjas

1 Limão

500g de água

50g de açúcar mascavado

 

Mãos-à-obra:

1) Descascar a manga

2) Descascar a laranja retirando a parte branca

3) Descascar o limão retirando a parte branca e os caroços

4) Colocar no copo todos os ingredientes, com excepção da água

5) Programar 2 min/ vel 9

6) Juntar a água e misturar na vel 3, cerca de 5 seg.

 

- Em alturas de calor pode-se juntar umas pedras de gelo, ou triturar a fruta com as pedras de gelo

- O néctar fica bastante espesso, pelo que se preferirem podem juntar um pouco mais de água.

 

CIMG0186 (2).JPG

 

publicado por maisumamae às 16:08

18 Março 2015

Enroladinhos de salsicha de soja (versão tradicional) - receita da mãe

 

Ingredientes

300g de batatas

300g de farinha

300g de margarina

1 Frasco de salsichas de soja

1 Ovo

 

Mãos-à-obra:

1) Cozer as batatas e passar pelo passe-vite por cima da margarina de modo a que esta derreta

2) Misturar a farinha e mexer bem a massa com as mãos

3) Toldar com a forma de pequenos croquetes

4) Rechear com salsichas de soja cortadas em pedaços pequenos

5) Pincelar com a gema de ovo e colocar num tabuleiro

6) Levar ao forno até ficarem dourados.

 

O meu próximo passo é experimentar esta receita adaptada por mim, com outros ingredientes e feita na bimby. Substituir a batata, por batata-doce (ou colocar 150g de cada e misturar); substituir a farinha normal por farinha integral e substituir a manteiga por azeite. Mais uma receita a experimentar e depois vir contar como foi!

 

CIMG0207.JPG

 

Falando de soja não queria deixar de dizer algumas coisas sobre a mesma. A soja tem surgido como um alimento alternativo para quem não come carne, no entanto penso que deve ser consumida sem exageros. Normalmente a soja que se encontra à venda nos supermercados é processada, pode conter organismos geneticamente modificados (OGM – alterações genéticas não naturais nos alimentos, de modo a alterar-lhes a cor ou tamanho, ou sabor ou tempo e quantidade de produção, entre outros) e é pobre a nível nutricional. Existem mais factores em desfavor da soja. Se experimentarem “googlar” por “malefícios da soja” encontram-se alguns artigos interessantes e à partida credíveis que falam de questões como as possíveis alterações hormonais em casos de consumo excessivo ou casos de desmatação excessiva para cultivos avultados e intensivos das grandes indústrias.

 

Por esses motivos passei a utilizá-la muito esporadicamente. Na verdade, ela é até desnecessária numa dieta vegetariana pois existem outros alimentos mais ricos a nível nutricional (com proteínas vegetais), como os vários tipos feijão, tremoços, lentilhas, grão etc.

Já a soja fermentada como o tempeh ou derivados naturais da soja, como o tofu considero mais benéficos e costumo consumir. O tofu é muito fácil de se fazer em casa e fica mais uma promessa minha, em fazer um post com a receita. Os orientais (várias fontes indicam que a China foi quem iniciou o consumo de soja), apenas consomem produtos fermentados da soja (missô, tempeh, shoyu) e o tofu, mas em poucas quantidades. A bebida de soja e a soja processada é uma invenção dos ocidentais. Para bebidas vegetais existe o de aveia, amêndoas, arroz, castanhas, coco e alguns deles muito simples de fazer em casa.

 


11 Março 2015

Muffins salgados de cenoura e cogumelos (versão tradicional)

 

Ingredientes

 2 Canecas (grandes) de farinha integral

1 c.chá de fermento

4 Ovos

2 Cenouras

1 Caixa de cogumelos frescos

1 Cebola pequena

4 c.sopa de azeite

3 c.sopa de leite vegetal

Pimenta, noz-moscada e orégãos

 

Mãos-à-obra:

1) Refogar a cebola com azeite num tacho até alourar

2) Juntar os cogumelos às tirinhas pequenas, até ganharam cor, retirar do lume e reservar

3) Separar as gemas das claras e reservar as últimas

4) Juntar a farinha e o fermento com as gemas

5) Adicionar a cenoura ralada, a cebola e os cogumelos refogados e mexer bem

6) Colocar o azeite e o leite (coloquei leite de aveia) e continuar a mexer com uma colher

7) Juntar as claras batidas em castelo e envolver

8) Juntar uma pitada de pimenta, noz-moscada e um pouco de orégãos

9) Untar forminhas de queques (utilizei umas forminhas de silicone), com azeite e farinha

10) Distribuir a massa pelas forminhas, tendo o cuidado de não as encher muito, pois crescem um bocado

11) Colocar algumas sementes por cima se quiserem (sésamo ou linhaça) - opcional

12) Levar ao forno pré-aquecido a 180º, durante cerca de 35 min. Verificar se já estão cozidos após esse tempo ou se necessitam de mais tempo no forno.

 

Formas (11).JPG

 

CIMG0276.JPG

 


09 Março 2015

Bombons de chocolate negro (versão bimby)

 

Ingredientes

3 tabletes de chocolate negro (utilizei um da marca Lindt 70% cacau)

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar o chocolate partido no copo e pulverizar 5 seg/vel 9

2) Programar 4min /50º/ vel3 até ficar líquido

3) Colocar em moldes de plástico ou silicone, encher o molde para os bombons que ficam simples. Encher meio molde para os bombons que levarão recheio e colocar o recheio que se pretende. Em alguns coloquei duas passas de uva, outros coloquei duas bagas de goji, outros uma pequena avelã e outros coloquei bocadinhos de nozes

3) Levar ao congelador cerca de 15m para solidificar

 

Bombons de chocolate negro (versão tachinho)

 

1) Derreter o chocolate em banho-maria

2) Colocar em moldes de silicone, encher o molde para os bombons que ficam simples

3) Encher meio molde para os bombons que levarão recheio e colocar o recheio que se pretende

4) Levar ao congelador cerca de 15m para solidificar

 

Tablete chocolate2.JPG

 

Dicas:

- Utilizei moldes de silicone e de plástico, mas os moldes de plástico (policarbonato) são os mais adequados e é mais fácil para extrair o bombom.

- Estes bombons não tiveram tempo para ser conservados, pois foram consumidos no dia seguinte. De qualquer das formas para conservar convém ser num local seco e fresco, dentro de de um frasco por exemplo. No frigorífico não, pois altera a textura e o sabor do chocolate. Atenção à água que é o pior inimigo dos bombons.

 

CIMG0014.JPG

 

- Gosto de chocolate negro (mínimo 70% de cacau), pelo seu sabor e por ser mais saudável. É uma boa opção quando se pretende cair em tentação. Já comprei o 100% cacau, mas esse já o acho muito amargo. É bom para fazer sobremesas, mas para comer assim à trinca já não vai!

- Para os bombons pode-se fazer com chocolate negro, mas também pode ser feito com chocolate branco ou outros chocolates.

 

CIMG0016 (2).JPG

 

 - Como fiz os bombons num dia para serem consumidos no dia seguinte, acabei por não os temperar. Mas para oferecer ou para conservar convém temperar. Temperar o chocolate faz com que os bombons fiquem com melhor aspecto (brilhantes) e não fiquem com manchas e ambaçados.

- O livro de receitas de chocolate da bimby também tem a receita para temperar, mas para mim o melhor tempero de chocolate e ainda o tradicional: pedra de mármore (para baixar rapidamente a temperatura), espátula e termómetro. 

- Temperar parece que dá mais trabalho e suja um bocado a cozinha, mas vale a pena o resultado final.

- Se estiveram com pouco tempo e for apenas para consumo próprio e rápido, deliciem-se com os bombons sem temperar, pois ficam saborosos na mesma.

- Se a experiência a fazer bombons não correr bem à primeira, não desistam e tentem novamente.

 

Bombons.JPG

 

Deixo aqui um vídeo, para quem quer aprofundar a arte de confeccionar chocolate.

 

Esta receita foi adaptada por mim do blog Cocobaunilha.


Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO