Maisumamãe
 

17 Fevereiro 2017

 

Fazer ementas semanais pode ser um bom hábito, principalmente quando temos crianças! Um hábito inteligente, saudável, de poupança, mas que requer disposição. Podem descarregar na internet, templates de ementas semanais, mas a maior parte dos que estão disponíveis têm apenas quatro refeições. Para mim, o ideal é um com cinco refeições, pelo que fiz um modelo em word tosco. Por vezes imprimo uns quantos modelos em branco e escrevo à mão. Ou faço mesmo tudo à mão!

Na minha ementa semanal acabo por repetir alguns pratos. Ou seja para 7 dias da semana, não tenho 14 ementas diferentes. Tento repetir no máximo três vezes o mesmo prato ao longo das 14 refeições. Se mesmo assim sobrar congelo. Assim não tenho que estar a cozinhar todos os dias e sempre a pensar no que vou fazer para o jantar. “Perco” uma manhã ou uma tarde do fim-de-semana, mas para mim compensa e muito durante a semana.

 

Além das ementas semanais, pratico outros hábitos que me têm sido úteis:

- Fazer compras mensais, uma vez por mês faço as compras gerais cá para casa, de modo a não ser necessário voltar a comprar ao longo do mês. Semanalmente compro legumes, fruta e pão. Sinto que assim consigo controlar melhor os gastos e o tempo em compras.

- Tentar comer sazonalmente a maior parte das vezes, ou seja comer produtos específicos da altura do ano. Hoje em dia encontramos todo o tipo de alimentos à venda, em qualquer altura do ano. Mas se optarmos maioritariamente pelos produtos sazonais estamos a poupar dinheiro (há mais oferta do produto, logo este está mais barato); os produtos estão mais naturais (sendo a sua época, não são necessários tantos fertilizantes); são mais saborosos (por serem colhidos na época certa relativamente ao seu ciclo de cultura) e poupamos o ambiente e o nosso planeta. No site da Deco há um calendário com a época das frutas e legumes.

- Fazer comida a mais e congelar. Pratos bons para congelar, feijoadas, pratos com molho, sopas. A congelação tem regras e truques (toca de pesquisar por essa internet fora!). Um que costumo utilizar é o choque térmico. Por exemplo com a sopa, coloco a panela no lava-loiça com água e pedras de gelo, para que esta arrefeça muito rapidamente. Depois congelo logo, de modo a manter os nutrientes.

- Ser fã de marmita. A marmita sempre fez parte do meu dia-a-dia. Na verdade, não saio de casa, sem uma bolacha e uma garrafa de água na mala. Agora com a filha, as doses de comida na mala aumentam. E no trabalho sempre fiz parte daquele grupo que leva almoço. Poupo dinheiro e consigo controlar mais facilmente o que como. Congelar a comida já em doses certas para levar para o trabalho também é boa ideia, para quem não se importa.

- Ter hambúrgueres ou croquetes de grão, de quinoa, de lentilhas congelados. Quando por algum motivo não tenho nada planeado, faço com um arroz, uma massa e legumes ou salada. Vale também as empadinhas de espinafres ou atum, cogumelos.

 

Mas vá, a coisa nem sempre corre bem, por vezes ando com menos energia e descamba tudo. Não faz mal, porque significa que é hora de recomeçar a planear e a colocar em prática novamente!

Deixo uma sugestão para uma ementa semanal sem carne, para crianças e graúdos. Prometo colocar outra sugestão para a próxima semana, bem como algumas das receitas desta. Adaptem a ementa aos vossos hábitos alimentares e comecem vocês também.

 

Ementa semanal.pdf

 

Ementa semanal.jpg

 

Ementa Semanal2.jpg

 

 

Quadro Ementa_Fnac.jpg

A fnac vende estes quadros, que também são um boa opção.

 


12 Abril 2015

A partir dos 6 meses – Iniciámos a Alimentação Complementar

 

AS SOPAS

 

Fazer as primeiras sopinhas também traz algumas dúvidas. De qualquer das formas partilho algumas dicas que espero que sejam úteis. Trataram-se/trata-se de opções minhas conforme o que achei/acho mais correcto a nível alimentar, no entanto há sempre várias formas de se fazer algo como sabem.

 

Nas primeiras sopas tentei não colocar muitos ingredientes de cada vez, de modo a que a Gaby fosse começando a conhecer o sabor de cada alimento. Fazia bases de abóbora ou cenoura ou batata-doce (optei pela batata-doce e não pela inglesa, pois esta primeira tem mais fibra, menos açúcar e mais vitamina A que a última) e depois juntava brócolos ou feijão-verde ou couve-flor por exemplo. Não tinha (nem tenho) por hábito juntar abóbora com cenoura, pois é betacaroteno e açúcar a mais.

Depois comecei a variar imenso. Este depois significa mais ou menos os 9 meses. Após algumas pesquisas pareceu-me que o ideal seria colocar um legume ou tubérculo (batata-doce, cenoura, abóbora, chuchu, beterraba, mandioca etc.), uma verdura (nabiças, brócolos, agriões, espinafres - este último devido a níveis altos de oxalato, convém haver um consumo moderado nos bebés) e por exemplo uma leguminosa (grão, lentilhas, feijões). Como não gosto de cebola adiei bastante a introdução da mesma e colocava alho. Por vezes colocava também algumas sementes (linhaça triturada), ou uma colher de sopa de gérmen de trigo ou levedura de cerveja.

 

O ideal é oferecer sopa fresquinha aos bebés e para nós também, mas com o regresso ao trabalho e o tempo a escassear, passei a fazer sopa em maiores quantidades e a congelar. Mais uma investigação, desta feita sobre congelação e conservação de alimentos e optei pelo chamado choque térmico. Após a sopa estar pronta, coloco-a no lava loiças em água fria e com cubos de gelo de modo a que esfrie rapidamente. Em seguida coloco em tupperwares, o ideal são aqueles livres de bpa ou de vidro (também coloco numas caixas que não são livres de bpa, mas aquilo dá-me taaanto jeito, pois têm o tamanho ideal para as doses de sopa a guardar, ai bpa´s!). Em seguida marco-os com o nome da sopa, a data e coloco-os na arca congeladora, pois atinge temperaturas frias muito mais rapidamente que o congelador do frigorífico. Se não tiverem arca vai de congelador claro. Ao esfriar rapidamente os alimentos e ao criar condições para que congelem num menor espaço de tempo, consegue-se uma maior conservação de nutrientes, pois congela-se também todos os nutrientes dos alimentos.

 

Deixo-vos as receitas de duas sopas que a Gaby gostava/gosta, mas se pesquisarem hão-de encontrar imensas receitas boas. O livro da Gabriela Oliveira Alimentação Vegetariana para Bebés e Crianças tem sopas óptimas. As avós da Gaby também são experts em sopas pelo que as suas dicas foram bastante úteis.

 

Creme de abóbora hokkaido com brócolos (versão bimby)

Comecei a dar a partir dos 6 meses

 

Ingredientes

1 Abóbora variedade hokkaido (pequena)

200g de brócolos

Azeite

Água q.b.

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar a água, a abóbora e os brócolos no copo e programar 20 min/100º/vel1. Por vezes já coloco a água a olho, mas se perceber que ficou por exemplo com água a mais retiro um pouco e reservo. Se após passar a sopa esta ficar muito grossa volto a colocar essa água. Este truque aprendi com a minha mãe.

2) Programar 1 min e ir progressivamente até à velocidade 7

3) Aguardar que a sopa estabilize antes de abrir a tampa e juntar-lhe um fio de azeite.

 

Creme de beterraba (versão bimby)

Comecei a dar após 1 ano, apenas porque nessa altura é que vi uma amiga minha a fazer e achei muito saborosa. Se me tivesse lembrado da beterraba antes, tinha oferecido mais cedo. De qualquer das formas, a beterraba é rica em nitratos pelo que à partida, não é dos primeiros alimentos a oferecer.

 

Ingredientes

500g de água

2 beterrabas médias

1 chuchu médio

2 cenouras

1 cebola pequena

3 dentes de alho

Azeite

Folhas de salsa

Folhas de manjericão

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar todos os ingredientes, com excepção do azeite, salsa e manjericão no copo e programar 20 min/100º/vel1

2) Programar 1 min e ir progressivamente até à velocidade 7

3) Aguardar que a sopa estabilize antes de abrir a tampa e juntar-lhe um fio de azeite, folhas de salsa e folhas de manjericão picadas.

 

Sopa de feijão azuki com espinafres (versão bimby)

Esta comecei a dar a partir dos 9 meses

 

Ingredientes

200g de feijão azuki demolhado (pode ser com outro tipo de feijão ou grão)

1 / 2 molhes de espinafres       

1 batata-doce pequena

1 cebola pequena

3 dentes de alho

Azeite

Gengibre

 

Mãos-à-obra:

1) Colocar o feijão, a batata, a cebola e os alhos, no copo e os espinafres na varoma. Programar 20 min/varoma/vel1

2) Juntar a raspa de um pouco de gengibre, programar 1min e ir progressivamente até à velocidade 7

3) Aguardar que a sopa estabilize antes de abrir a tampa e juntar-lhe os espinafres e um fio de azeite.

 

 

A FRUTA

 

A fruta começou aos 6 meses a fazer parte da alimentação da Gabriela, hoje continua a fazer parte e espero continuar.

 

Começámos pelas frutas doces, como a pêra, banana, maçã, mas rapidamente passámos para outras. Penso que nas frutas foi onde menos respeitei os chamados timings de introdução. Com excepção dos frutos vermelhos, por volta dos 7 meses comecei a dar-lhe quase tido o tipo de fruta da época. Nessa altura estávamos em Junho pelo que dei-lhe melancia, pêssego, meloa, alperce, laranja (esta última não é bem de época, mas também comeu). Dava-lhe um pedaço para a mão, uma quantidade pequena, caso não houvesse reacção continuava a dar-lhe. Como referi, desconheço antecedentes históricos na família, pelo que foi mais tranquilo.

 

Fazia também purés de fruta cozida ou crua e maçãs reinetas assadas no forno com canela. Mas o que ela gostava mesmo era de comer os pedaços de fruta pela sua mão, o que na verdade me parece mais interessante, a nível de descoberta de texturas, sabores, sensações. Fui fazendo um mix.

 

Puré de fruta cozida (versão tacho)

1) Cozer a fruta com casca (pêras ou maçãs) num tacho com um pouco de água, durante cerca 5 de minutos e triturar com a varinha.

 

Puré de fruta cozida (versão bimby)

1) Colocar a fruta no copo 5min/100º/vel1.

2) Triturar na vel 6/7 durante cerca de 1min.

Também costumo colocar a fruta na varoma, quando estou a fazer sopa.

 

Puré de fruta crua

Triturar a fruta com a picadora ou na bimy.

 

Para que os purés se aguentem mais tempo pode-se colocar umas gotinhas de limão ou laranja, válido para a altura em que decidem dar citrinos. Pode-se fazer estas papas e colocar em frasquinhos. Depois servem para comer fora, para mandar para a ama/creche e para congelar.

 

Amanhã continuamos com as bolachas, as papas e a  "comida de prato"!

 

1.JPG

 


Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO